História

A Câmara Municipal de S. João da Pesqueira e a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de S. João da Pesqueira, sensíveis às adversidades da região e como representantes dos interesses sociais e do desenvolvimento local e regional, envolveram-se na promoção de uma Escola Profissional com o objetivo de implementar e incentivar a fixação dos jovens na região do Alto Douro e contribuírem para a sua inserção no mundo do trabalho, bem como para uma melhor e adequada qualificação profissional.

Assim, a 25 de Setembro de 1995 inicia a atividade a ESPRODOURO, Escola Profissional de S. João da Pesqueira, situada em S. João da Pesqueira, criada ao abrigo do decreto-lei n.º 70/93 de 26 de Setembro.

O governo, através do decreto-lei n.º 4/98 de 8 de Janeiro, que revoga o decreto-lei atrás citado, revê na íntegra o regime das Escolas Profissionais, impondo a reestruturação das já existentes, com vista à sua adaptação a um novo figurino. Esta reestruturação surge com o intuito de corrigir algumas fragilidades e ambiguidades detetadas relativamente ao processo de criação das Escolas Profissionais, à natureza jurídica dos proprietários e à sua relação com os órgãos de direção, à responsabilidade pedagógica e financeira dos órgãos da Escola Profissional, bem como ao respetivo modelo de financiamento.

Nesse sentido, os promotores da ESPRODOURO (Câmara Municipal de S. João da Pesqueira e Caixa de Crédito Agrícola Mútuo de S. João da Pesqueira) conscientes da mais-valia que advém do envolvimento da família na definição de estratégias educacionais, entenderam convidar a Associação de Pais da ESPRODOURO para a constituição da ASDOURO – Associação de Desenvolvimento do Ensino e Formação Profissional do Alto Douro: Associação sem fins lucrativos, constituída a 6 de Setembro de 1999, através de escritura realizada no Cartório Notarial de Penedono e tendo como objeto a “educação e formação profissional, no âmbito do decreto-lei 4/98 de 8 de Janeiro e outras atividades educativas”. A ESPRODOURO-Escola Profissional do Alto Douro, criada ao abrigo do DL 70/93 de 10 de Março, passou então a pertencer à ASDOURO.

Os proprietários passaram a ser, a Câmara Municipal, o Crédito Agrícola de S. João da Pesqueira e a Associação de Pais da ESPRODOURO.

A ESPRODOURO é uma escola que tem como missão proporcionar a todos uma oportunidade de qualificação e certificação, de nível básico ou secundário, adequada ao seu perfil de necessidades de qualificações profissionais dos jovens e dos adultos.

Dos objetivos da ESPRODOURO, destaca-se a formação profissional no âmbito do desenvolvimento local e regional para:

  • Fixar as populações em geral e os jovens em particular;
  • Modernizar o tecido empresarial e estimular o seu desenvolvimento;
  • Criar emprego sustentado e/ou auto emprego;
  • Revitalizar as instituições locais/regionais e envolver a comunidade para o processo educativo;
  • Integrar e criar a consciência de cidadania;
  • Colaborar com entidades públicas, ou privadas, particularmente com autarquias, cooperativas, associações de solidariedade social, socioprofissionais, culturais ou outras, interessadas no desenvolvimento rural integrado da região;
  • Promover, apoiar e organizar ações de formação a fim de valorizar os recursos humanos, diligenciando a sua posterior participação no desenvolvimento;
  • Promover, estimular e dinamizar as capacidades de investimento a nível local;
  • Promover a divulgação dos produtos e das potencialidades regionais e a recuperação de técnicas e práticas tradicionais;
  • Reforçar a competitividade do tecido empresarial – apoiar com a intervenção dos formandos e formadores nas dinâmicas de suporte ao desenvolvimento das atividades económicas na zona de Intervenção;
  • Valorizar o património ambiental – apoiar a concretização de ações que possibilitem o usufruto sustentável dos espaços naturais;
  • Preservar a identidade cultural do território – apoiar um conjunto de ações com o objetivo de perpetuar e enriquecer as realidades sociais e culturais específicas da região;
  • Qualificar os recursos humanos;
  • Participar no desenvolvimento do sistema educativo, enquadrado nos programas de valorização do ensino, nomeadamente, através da supressão de carências específicas, com a aplicação dos princípios corporativos;
  • Cooperar e entre ajudar no sentido de conquistar a colaboração das entidades locais, regionais e nacionais.