A importância da formação profissional em Portugal e na Europa

O que a Europa espera dos jovens?

O investimento em pessoas, na sua educação e formação é indispensável, independentemente da atividade económica visada.

Essa preocupação com a Formação Ao Longo da Vida é consolidada pela afirmação “As mudanças são tão profundas que, na perspetiva da história da humanidade, nunca houve um momento tão potencialmente promissor ou perigoso”, como refere Klaus Schwab, fundador do European Symposium of Management, organizado em Davos na Suíça, desde 1987 – World Economic Forum. As previsões futuras, com base por exemplo em Harari, na sua obra 21 Lições para o Século XXI, indica que “Quando fores grande, talvez não tenhas profissão”. Em 2030 teremos mais de 85% de novas profissões, hoje desconhecidas (WEF, 2019), a taxa de natalidade irá cair, as famílias terão cada vez mais expectativas em Educação e Saúde, ou ainda o Envelhecimento, Explosão Demográfica & Intrageracionalidade serão os tópicos da atualidade.

            O ensino a nível europeu deve assim aliar essas alterações e tendências, às vivência sociais pós-pandemia e perfis desejados para o futuro. Entre as quias, a inovação que se gerou no sistema educativo com as tecnologias digitais, o que veio antecipar alterações futuras inevitáveis no ensino e na formação.

            São os jovens do futuro que tomarão as decisões de amanhã, reconhecendo a importância dos jovens reconhecemos também o papel que a educação tem na sua formação e no ensino de alta qualidade, com métodos de ensino e aprendizagem baseados nas competências, habilidades, atitudes e valores.

            Segundo dados da União Europeia (2019), tendo em conta que a taxa de desemprego dos menores de 25 anos na Europa é cada vez maior, o jovem do futuro deve ser dotado:

  • Pensamento critico;
  • Resolução de problemas;
  • Flexibilidade;
  • Capacidade de adaptação;
  • Produtividade;
  • Criatividade;
  • Competências práticas sobre o desenvolvimento de uma profissão.

De modo a prestar o devido apoio à identificação das tendências, analisar comportamentos e desenhar as melhores políticas, a União Europeia tem nas suas estratégias o Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional (Cedefop). Contribui para o desenvolvimento das políticas de formação profissional da União Europeia e para a respetiva aplicação. Segue as tendências do mercado de trabalho e ajuda a Comissão Europeia, os países da UE, as organizações patronais e os sindicatos a assegurar que a oferta de formação corresponde às necessidades do mercado de trabalho. Criado em 1975, tem cerca de 100 participantes nas práticas, e tem sede em Salónica (Grécia).

Em 2019, no mês de outubro, entre os dias 14 e 18, a Presidência finlandesa acolheu a Semana Europeia da Educação e da Formação Profissional, European Vocational Skills Week 2019, que teve como mote “Descobre o teu Talento” #DiscoverYourTalent, através da educação e da formação profissional.

            É neste contexto que a formação profissional se apresenta cada vez mais como uma mais-valia para o mercado de trabalho, evidenciando que a passagem por esta tipologia de ensino é determinante para as competências que se adquirem tanto do ponto de vista das “soft skills” como das “hard skills”.


A importância da formação profissional em Portugal

“Há 40 anos, David Bowie afirmou: «O futuro pertence àqueles que o ouvem chegar».”

            Em Portugal, tal como em toda a Europa, até à revolução industrial a passagem de conhecimentos profissionais e técnicos acontecia maioritariamente no trabalho, fazendo com que esse conhecimento passasse de geração em geração.

 As primeiras quarenta escolas profissionais surgiram em Portugal em 1989, através da assinatura de contratos-programa entre as entidades titulares das escolas e o Ministério da Educação.

Para a Teresa Damásio – Administradora do ISG – Instituto Superior de Gestão e do Grupo Ensinus – “Até há bem pouco tempo, o ensino profissional era olhado com alguma desconfiança por haver quem acreditasse que não se ensinava de forma rigorosa e que não se almejava a excelência. Mas, o que a sociedade portuguesa tem vindo a descobrir é precisamente o contrário” (Jornal de Negócios, 2019).

            Após muitos anos a ser desvalorizada, as convicções relativas à formação profissional em Portugal estão finalmente a alterarem-se. A formação profissional começa a ser vista com outras posturas, tanto para o trabalhador como para o mercado de trabalho. No entanto, segundo os dados do CEDEFOP, a percentagem de alunos matriculados em cursos profissionais no ano de 2018 continua a ser mais reduzida do que em cursos cientifico-humanísticos.

Fonte: Barbosa, et al., (2019)

O ensino profissional é constituído por cursos que atribuem um duplo certificado (escolar e profissional), sendo estes lecionados em regime de alternância, combinando aulas teórico-práticas com o estágio, priorizando a sua introdução no mercado de trabalho e possibilitando o ingresso no ensino superior.

            Aproximadamente 40% do tempo de formação destes alunos é decorrido em contexto de estágio, pondo em prática os conteúdos obtidos em sala de aula. 

            Esta metodologia de ensino proporciona um maior dinamismo e interação facilitando a aprendizagem do aluno e permitindo que o mesmo adquirira conhecimentos práticos em determinada área. Estes cursos são marcados por uma forte ligação ao mundo profissional o que proporciona a rápida inserção do estudante no mercado de trabalho.

            Este tipo de formação é adequada para estudantes que ainda não concluíram o ensino secundário ou 9º ano de escolaridade, ma também para quem já concluiu o ensino e quer adquirir conhecimentos específicos numa determinada área, ou atualizar conhecimentos uma vez que os conceitos estão em contante evolução.

            Portugal apresenta uma história extensa no que diz respeito à aposta no ensino profissional, desenvolvido com o objetivo da aprendizagem de competências práticas, virado para o saber-fazer e para o funcionamento e execução de uma profissão.

            A inserção dos princípios orientadores do ensino profissional e a criação das Escolas Profissionais, em 1989, contribuíram para uma maior oferta formativa, particularmente na sua amplificação aos níveis pós-secundário e superior.

            O principal objetivo do ensino profissional é apoiar o crescimento de competências pessoais e profissionais para o desempenho de uma profissão, podendo ainda o aluno ter a oportunidade de ingressar no ensino superior ou adquirir formações pós-secundárias.

            A introdução destes profissionais no mercado de trabalho apresenta-se como um fator de progresso no desenvolvimento económico do país, visto que esta tipologia de ensino é um elemento bastante valorizado nos dias de hoje pelo mundo empresarial.

            No quadro a baixo podemos verificar os benefícios do ensino profissional apresentados pela CEDEFOP (2011) sendo estes de carácter diversificado, tanto a nível económico como sociais.


Fonte: Barbosa, et al., (2019)

            Mais recente, a pandemia “acelerou o futuro”, “A formação é a grande força transformadora para um futuro mais sustentável e mais próspero”, afirmou a secretária de Estado do Turismo (SET), citada num comunicado onde o Turismo de Portugal apresenta as linhas da sua estratégia para a formação de profissionais no país.

            Essas linhas sobre o futuro estão presentes no documento “The importance of being vocational – challenges and opportunities for VET in the next decade”, desenhado pelo Cedefop e pela ETF, que analisa o percurso dos últimos anos e anuncia os próximos passos na formulação de políticas de Educação e Formação Profissional na União Europeia.

            Das muitas conclusões do estudo agora apresentado, destaca-se a necessidade de criação de uma nova estratégia para o desenvolvimento da EFP inicial e contínua, para o reforço das oportunidades de aprendizagem para adultos com base numa interação mais eficiente entre os dois âmbitos de EFP.


O alinhamento da ESPRODOURO com os desafios

O nosso Projeto Educativo 20/30

            O Projeto Educativo é o documento que consagra a orientação educativa das escolas, no qual se explicitam os princípios, os valores, as metas e as estratégias segundo os quais a escola se propõe cumprir na sua função educativa.

            A ESPRODOURO tem como missão permitir a criação de um ecossistema que favoreça o desenvolvimento de um futuro exponencial e feliz para todos os seus intervenientes, tendo em conta a sua visão e valores de adquirir reconhecimento e serem uma escola de referência a nível nacional no âmbito da formação profissional. Nos próximos 10 anos (2020-2030) a palavra-chave da ESPRODOURO será: EXPONENCIAR.

            A ESPRODOURO assume o compromisso de promover um ensino profissional em áreas diversificadas, pautado por critérios de qualidade, objetivando a excelência para a redução do abandono e insucesso escolar; impulsionar a formação de cidadãos centrados na dignidade humana; capacitar os jovens desenvolvendo competências que serão essenciais para o seu sucesso profissional, aumentando assim a taxa de colocação nas entidades empregadoras.

Mais do que nunca, e segundo Teresa Damásio – Administradora do ISG – Instituto Superior de Gestão e do Grupo Ensinus, “outras das consequências evidenciadas é o facto de as remunerações dos diplomados do ensino profissional serem 25% acima da média dos diplomados com o ensino científico-humanístico”.

Os projetos educativos escolas profissionais visa a excelência e que o futuro também se constrói através do ensino profissional e da formação profissional, por isso, assumimos Desafios com Felicidade.


Referências Bibliográficas

Barbosa, B., et al,. (2019). Caracterização do Ensino e Ensino e Formação Profissional em Portugal. Edulog.

CEDEFOP. “The importance of being vocational – challenges and opportunities for VET in the next decade”. Acedido a 7 de maio 2021 em https://www.cedefop.europa.eu/files/4186_en.pdf

European Vocational Skills Week 202009-13 November 2020. Acedido a 7 de maio de 2021. https://ec.europa.eu/social/vocational-skills-week/news_en

ESPRODOURO. “Projeto Educativo 20-30”. Acedido a 7 de maio de 2021. https://esprodouro.com/projeto-educativo-20-30/

Jornal de Negócios. “A Construção do Futuro através da formação profissional”. Acedido a 7 de maio de 2021. https://www.jornaldenegocios.pt/opiniao/colunistas/teresa-damasio/detalhe/a-construcao-do-futuro-atraves-da-formacao-profissional

Informações

Leave a Reply